Quando pensamos em uma perda, principalmente em uma perda relacionada à morte, o primeiro sentimento que temos em mente ou que sentimos é a tristeza. A perda pode ser algo extremamente doloroso e triste, mas também pode ser algo bem ansiogênica, causar ansiedade.

Na maioria das vezes, falamos sobre a tristeza e as fases do luto que acompanham a perda, mas nos esquecemos da ansiedade que podemos ter. Seja ansiedade pelo futuro sem o ser querido, seja ansiedade pela fragilidade e incertezas da vida.

A ansiedade vem em um conjunto de dois fatores: o nosso exagero sobre o perigo ou consequências de um evento e nosso menosprezo por nossa real capacidade de enfrentar o que estamos vivendo ou podemos viver.

Quando ficamos ansiosos, temos sintomas desconfortáveis que podem nos causar ainda mais mal-estar. Podemos ter taquicardia, tontura, fraqueza e tensão muscular. Tudo isso, causa desconforto no momento e consequências em nosso corpo nos dias seguintes (ex: dores musculares, cansaço, esgotamento, etc.).

Para minimizar a ansiedade e seus sintomas, podemos fazer uso de técnicas de relaxamento.

Para isso, é muito simples: sente-se em um local confortável, feche os olhos e respire normalmente focando sua atenção na entrada e saída de ar de suas narinas. Depois de alguns minutos, você notará sua respiração e frequência cardíaca voltando ao normal.

Para as tensões musculares, você pode deitar-se de maneira confortável, contrair todo o corpo por 10 segundos e relaxar, fazendo isso por pelo menos 5 vezes e lentamente, ajuda na percepção de quando estamos tensos e no relaxamento dessa tensão.

Esses dois exercícios podem te ajudar a lidar um pouquinho melhor com a sua ansiedade e te mostrar que você é capaz de lidar com ela.

Sei que a dor e o sofrimento emocional não irão embora com relaxamentos. Mesmo assim, quanto menos desconforto e sofrimento, melhor.

O luto é algo normal e que tende a passar sozinho. Se estiver com dificuldade e com muito sofrimento, não hesite em buscar apoio psicológico. Uma psicoterapia pode te ajudar a aceitar a situação atual e a lutar para alterá-la.